Depois de 19 dias de etapa, o barco espanhol, com o único brasileiro da regata, termina no pódio a etapa mais difícil e desgastante da Volvo Ocean Race

SEGUNDO LUGAR PARA O “MAPFRE” NO BRASIL

© María Muiña / MAPFRE

Depois de vencer em Auckland (Nova Zelândia), o “MAPFRE” manteve o bom desempenho e se manteve no pódio. A equipe terminou a quinta etapa da Volvo Ocean Race em segundo lugar no pódio ao chegar neste domingo ao Brasil depois de uma etapa que exigiu o limite dos barcos e dos velejadores.

O comandante do barco, Iker Martínez, disse que foi tudo especial. “Digo que esta é a única etapa que o simples fato de chegar já é um motivo de alegria. No mais, foi a primeira etapa em que encontramos ventos duríssimos e tivemos que passar por um processo de aprendizagem. Aqui, sempre se aprende com as dificuldades”.

19 dias, 2 minutos e 56 segundos de prova

Depois da última grande manobra para  navegar em direção a Itajaí e faltando 100 milhas, a flotilha se dividiu dois grupos com o “MAPFRE” e o líder “Abu Dhabi” de um lado e o “Alvimedica” e o “Brunel” de outro.

Com pouco vento e calmaria, a 25 milhas da chegada, o vento voltou a entrar e deu mais velocidade para a flotilha. O “Abu Dhabi” tinha um ligeira vantagem e eles cruzaram a linha de chegada em primeiro.

Ás 17:02, hora local, 32 minutos e 46 segundos depois, o “MAPFRE” fazia o mesmo diante de uma multidão que o saudava. Se existe uma coisa unânime para todas as equipes é que esta foi a etapa mais dura da Volvo Ocean Race.

“Foi uma etapa duríssima desde o primeiro até o último minuto. Achávamos que depois do Cabo Horn seria mais tranquilo, mas foi justamente ao contrário”, declara “Ñeti” Cuervas-Mons. “Tenho que cumprimentar a todas as equipes, porque todos se empenharam muito e fizeram uma regata divertida de se ver”.

André Fonseca “Bochecha”, ídolo em casa

Apesar do cansaço, um dos mais contentes a bordo era, sem dúvidas, André Fonseca “Bochecha”, o único tripulante brasileiro desta edição da Volvo Ocean Race.

Dobrar o Cabo Horn e chegar é uma grande vitória. Foi uma etapa incrível, com disputas incríveis, estivemos na primeira posição e até o final tivemos possibilidades de ganhar, mas o segundo lugar é igualmente importante. Estamos muito contentes. Muitos dos meus amigos foram para a água para acompanhar as últimas milhas. Obrigada a todos”, disse.

Esta é a terceira vez que “Bochecha” participa da Volta ao Mundo, mas a primeira em que chega em casa, já que além de desembarcar em seu país, chegou também ao seu estado, Santa Catarina, onde fica Itajaí. O calor da família, dos amigos e do público foi o que mais surpreendeu.

“Agora é descansar, ficar um pouco com a família e com os amigos. Sei que vai ser difícil estar com todos eles, mas tentarei fazer isso”.

Quarto na classificação geral 

Com o segundo lugar, “MAPFRE” empata com o terceiro na classificação geral com o “Brunel”, mas os holandeses estão na frente no desempate. Para ambos, o segundo lugar está mais perto do que nunca, apenas dois pontos, já que “Dongfeng”, que se retirou da etapa após a quebra do mastro. “Abu Dhabi” é o líder com 9 pontos.