Após quase 70 horas de navegação, o quarto e último teste da Leg Zero terminou nesta manhã, nas proximidades La Coruña, na Espanha. Com a flotilha praticamente em frente à costa galega e com uma previsão de ventos ruins para os próximos dois dias, a organização tomou, na terça-feira (15), a decisão de encurtar a rota e colocar ponto final na disputa. A MAPFRE, terceira no momento da interrupção, somou 29 pontos no total e foi proclamada vencedora da Leg Zero com uma vantagem de cinco pontos para o segundo classificado, o Dongfeng Race Team.

© María Muiña/MAPFRE

No domingo passado (13), a flotilha da Volvo Ocean Race partiu de Saint Malo (França) para a quarta e última etapa da Leg Zero com Lisboa como destino final – incluindo uma parada em Chaussé de Sein.

O barco MAPFRE, que partia como favorito ao liderar a classificação geral depois das três primeiras provas, sabía que não seria fácil se manter na ponta. Joan Vila, navegador do MAPFRE, acertou sua estratégia e o time de Xabi Fernández não demoraram a segurar a posição.

Depois de ser o primeiro a completar o curso de 25 milhas entre Saint Malo e Le Grand Lejon, a MAPFRE retomou a sua rota na segunda-feira passada por ordem escalonada. As condições do vento, que inicialmente atingiram os 10 nós de intensidade, logo se tornaram complicadas e o Golfo da Biscaia virou uma verdadeira dor de cabeça para os sete VO65.

Finalmente, e já em frente à costa galega, a equipe comandada por Xabi Fernández foi a primeira a começar a conquistar o Oeste para procurar o novo vento e os resultados logo chegaram. Poucas horas depois, a equipe espanhola já estava no grupo superior e com uma velocidade claramente mais rápida, o que lhes permitiu ser o terceiro no momento que a organização mandou suspender a prova. O barco MAPFRE ficou atrás da Vestas 11th Hour Racing e do Team Akzonobel, primeiro e segundo, respectivamente.

Com este resultado, a MAPFRE selou sua vitória na Leg Zero com uma vantagem de cinco pontos para o segundo lugar, a Dongfeng Race Team e seis do Team Brunel, que encerra o pódio na terceira posição.

Embora a Leg Zero não marque pontos para a Volvo Ocean Race, não há dúvida de que essas últimas semanas de competição serviram a MAPFRE para se medir com aqueles que serão seus rivais da volta ao mundo e saber onde a equipe está depois do trabalho realizado durante os últimos meses de treinamento.

 

ELES DISSERAM…..

Xabi Fernández

Acabamos de terminar o Leg Zero, evento de preparação para o Volvo Ocean Race. Foi um mês intenso desde que saímos de Sanxenxo e quatro estágios bastante difíceis que foram muito bons para nós.

Sabemos que a posição vai melhorar muito e conhecemos todos os barcos e todos os marinheiros. Agora, demonstramos um alto nível, porque fizemos um bom trabalho durante o inverno, mas as outras equipes estarão treinando e devemos continuar pensando em como fazer o barco mais rápido.

Joan Vila

Todos os barcos estão em um bom nível. Esta foi uma regata de treinamento e não esperamos que as coisas sejam fáceis. Eu acho que a chave para a vitória não é apenas em uma pessoa, mas toda a equipe.

Acho que temos uma grande equipe e todos têm seu trabalho a bordo. A parte do navegador é tentar não fazer nada de extremo e sempre ter uma opção a seguir.

 

CLASSIFICAÇÃO 4º PROVA – LEG ZERO

  1. Vestas 11th Hour Racing (EUA, Charlie Enright)
  2. Team AkzoNobel (HOL, Simeon Tienpont)
  3. MAPFRE (ESP, Xabi Fernández)
  4. Dongfeng Race Team (CHN, Charles Caudrelier)
  5. Turn the Tide on Plastic (Dee Caffari)
  6. Team Brunel (HOL, Bouwe Bekking)
  7. Team Sun Hung Kai/Scallywag (HKG, David Witt)

 

CLASSIFICAÇÃO GERAL  – LEG ZERO

  1. MAPFRE (ESP, Xabi Fernández), 29 pontos
  2. Dongfeng Race Team (CHN, Charles Caudrelier), 24 pontos
  3. Team Brunel (HOL, Bouwe Bekking), 23 pontos
  4. Team AkzoNobel (HOL, Simeon Tienpont), 22 pontos
  5. Vestas 11th Hour Racing (EUA, Charlie Enright), 20 pontos
  6. Turn the Tide on Plastic (Dee Caffari), 13 pontos
  7. Team Sun Hung Kai/Scallywag (HKG, David Witt), 9 pontos