“MAPFRE” termina sétima etapa em segundo lugar depois de navegar pelo Atlântico por nove dias, 11 horas, 31 minutos e 39 segundos. A equipe espanhola, que conta com o brasileiro André ‘Bochecha’ Fonseca, pegou o terceiro pódio na Volta ao Mundo

MAIS UM PÓDIO PARA O “MAPFRE”, SEGUNDO COLOCADO EM LISBOA

© María Muiña / MAPFRE

 

Depois de 9 dias 11 horas, 31 minutos e 39 segundos, o “MAPFRE” cruzou a linha de chegada em Lisboa na segunda posição. O resultado foi importante para os espanhóis que ainda têm chances de terminar entre os três primeiros na Volta ao Mundo.

O “Brunel” venceu chegando 21 minutos e 50 segundos antes do “MAPFRE”. O percurso dos EUA até Portugal teve 2.800 milhas náuticas.

O “Alvimedica” passou o “Dongfeng” – 55 segundos de diferença – e terminou em terceiro. Atrás deles apareceram “Abu Dhabi” e “SCA”.

Uma chegada com surpresas

O grupo da ponta chegou à zona de exclusão por tráfego marítimo e escolheu ir mais ao Sul, mas o vento baixou de intensidade. Por isso, a distância entre o “MAPFRE” e o líder caia. Nos quilômetros finais, a equipe de Iker Martínez se aproximou do time de Bouwe Bekking e abria vantagem sobre o “Dongfeng”.

Tudo poderia ocorrer. O repórter a bordo Fran Vignale disse que a entrada no rio Tejo poderia ser sem ventos. Os tripulantes já estavam preparados. O vento acabou entrando e o “Brunel” arrancou para cruzar em primeiro. O “MAPFRE” aguentou até o final o segundo lugar.

O anticiclone dos Açores

Em terra, a tripulação do “MAPFRE” estava contente, mas o velejador “Ñeti” Cuervas-Mons disse que poderia ter sido melhor. “O único barco que não queríamos na ponta venceu. Mas o resultado foi bom para a equipe, sem dúvida”.

Para os espanhóis, a chave foi o anticiclone dos Açores. “Saíram três barcos juntos e a partir desse ponto ganhamos um pouco mais de velocidade. Foi aí que o ‘Brunel’ se destacou” , explicou Iker Martínez.

 Seu companheiro Xabi Fernández completou. “Foi a chave da etapa. A partir desse ponto foi como uma corrida de cavalo”.

Resultados embolados

Com os resultados desta etapa, a classificação geral está mais aberta do que nunca. O “MAPFRE” sobe para a quarta colocação com 26 pontos. A diferença para o “Brunel” – terceiro no geral – está em quatro pontos.

O líder “Abu Dhabi” ficou em quinto nesta etapa – a primeira vez que não está no pódio. O “Dongfeng” terminou em quarto. A distância entre eles agora é de cinco pontos e o “Brunel” já está nos calcanhares.

Com duas etapas e 14 pontos em jogo, não há nada decidido e as últimas 1.600 milhas náuticas serão decisivas.

Cuervas-Mons avisou: “Seguimos vivos na luta pelo pódio final, nosso objetivo em Gotemburgo”.