Andre Fonseca "Bochecha"

André Fonseca no oceano Sul © Francisco Vignale/MAPFRE/Volvo Ocean Race

A quinta etapa da Volvo Ocean Race segue gelada e bastante disputada na aproximação ao Cabo Horn. Os barcos que seguem rumo ao Brasil se revezam na liderança do percurso e, na maioria das vezes, têm contato visual, algo raro numa regata longa. Entre as equipes que disputam o primeiro lugar da perna está o MAPFRE, do brasileiro André ‘Bochecha’ Fonseca. O atleta reconhece que a prova está bastante equilibrada nos Mares do Sul e que todos estão 100% focados para chegar o mais rápido possível em Itajaí. O maior desejo é fugir do frio, que chega a ficar a baixo de zero.

“Muitas vezes, quando você está com as mãos no leme o sangue não chega às mãos. Elas ficam congeladas e você tem que se mover para esquentar. O vento voltou a aumentar um pouco e nos obriga a fazer mais manobras e nos movimentar mais. Os dias com pouco vento e muito frio demoram muito pra passar e você acaba congelado como um pinguim”, disse André ‘Bochecha’ Fonseca. “Eu sou brasileiro, criado no clima tropical. Por isso não vejo o frio muito bem. É difícil acertar, mas todo mundo tem o mesmo problema nessa etapa da Volta ao Mundo. Eu acho que vai piorar nos próximos dias na aproximação ao Cabo Horn”.

O brasileiro explica que até mesmo o suor do corpo é gelado. “Fica tudo mais potencializado com as roupas molhadas. Não só pela água do mar, mas também pelo suor. Se você coloca um monte de roupas e começa a trabalhar duro a bordo, o suor do seu corpo se transforma em água e você fica todo molhado. Se usar pouca roupa, passa frio”.

A últimas horas nos mares do Sul foram bem desgastes para os atletas. A mudança na liderança é constante. Parece um match race ou uma in-port race – aquelas realizadas próximas à praia. Na atualização da tarde deste sábado (28), o MAPFRE de Bochecha aparecia em quinto, mas bem próximo do líder Team Brunel. “Vamos acelerar rumo ao Cabo Horn e é interessante ver quem chegará lá primeiro. Em seguida, haverá cerca de 2.000 quilômetros até Itajaí. Não vejo a hora de chegar em casa para tomar um banho quente e comer um churrasco. Vamos terminar a prova provavelmente no feriado de Páscoa”, finalizou André ‘Bochecha’ Fonseca.

A flotilha deve contornar o Cabo Horn na próxima segunda-feira (30). A quinta etapa, que saiu de Auckland, na Nova Zelândia, é a mais longa da Volvo Ocean Race, com mais de 12 mil quilômetros.

* Informação de Volvo Ocean Race e MAPFRE na Volvo Ocean Race 2014-2015